Strait-line, 2014

Exhibition view: Lines, Hauser & Wirth, Zurich, 2014
Installation | Irwin Strait-lines, nails | 136 × 500 cm

Strait-line is made with a tool masons and carpenters use to draw a straight line marking the surface with blue chalk.


Instalação feita com Strait-line, instrumento usado por pedreiros e marceneiros para traçar uma linha reta com um cordão que marca a superfície com pó de giz azul.


O Livro da Mil e Uma Noites, 2014

Sculpture | Hardcover books | 40,5x47x33 cm

O Livro das Mil e uma Noites (The Book of the Thousand and On Nights) gives materiality to the history of this book of obscure origin and multiple, polyphonic, full of intersections, additions, subtractions, anthropophagy and promiscuity.


O Livro das Mil e Uma Noites dá materialidade à história desse livro de origem obscura e múltipla, polifônico, cheio de cruzamentos, adições, subtrações, antropofagias e promiscuidades.

Minha biblioteca, 2014-2018

Series of collages with hard book covers  | Variable dimensions
Minha biblioteca (My library) is a series of collages with hardcovers from books published in languages I can’t read, organized by color and sizes.


Minha Biblioteca é uma série em que organizo por cores e tamanhos, em composições geométricas, capas de livros publicados em idiomas que não leio.

Código desconhecido, 2014-2016

Polyptych series | Book spines, MDF | Variable dimensions
From the series Código Desconhecido (Unknown code). Book spines organized by size into blocks that are similar to illegible bar codes. Once the narratives are vanished, we are left with their structure, which used to put the gathered pages in the correct order.

Da série Código Desconhecido. Lombadas de livros organizadas por tamanho em blocos que se assemelham a códigos de barras ilegíveis. Apagadas as narrativas, resta-nos a sua estrutura, o que costumava colocar as páginas em conjunto na ordem correta.


The landscape is moving, 2013

Exhibition view: Frieze Sculpture Park, London, 2013

Sculpture |Highly polished stainless steel and acrylic panels | 79 x 236 x 1 inches


The landscape is moving is a mirror wall where you can read through the title, a verse by Patti Smith.

The landscape is moving (A paisagem em movimento / A paisagem é comovente) é uma parede de espelho através da qual pode-se ler o título, um verso de Patti Smith.


No silêncio nunca há silêncio, 2013

Exhibition view: Wanås Konst, Knislinge, Sweden, 2013

Installation |79 ceramic letters over lawn | Variable dimensios


The title (In silence there is never silence) is written in Portuguese, Swedish and English with ceramic letters on the grass, like a crossword in which the three languages are connected in the words “silence”. The original statement is left for some days on the lawn in order to be printed on the grass. Other words can be written as those gradually fade.

Escrevi a frase No silêncio nunca há silêncio em português, sueco e inglês, com letras de cerâmica sobre a grama. Posicionadas como num jogo de palavras cruzadas, as três línguas conectam-se nas palavras “silêncio”. As letras são mantidas por alguns dias sobre o gramado, deixando sua impressão sobre a grama. Outras palavras podem ser escritas enquanto aquelas gradualmente se apagam.


Cores, nomes, 2013

Exhibition view: Pouco a pouco, Casa de Cultura Laura Alvim, Rio de Janeiro, 2013

Mineral print on Matt Cotton Smooth paper, gouache painting on paper, passepartout,
frame and wall
| 48 x 66cm (wood frame) 58 × 76 cm (painted frame on the wall)


In the Cores, nomes (Colors, names), I gathered verses that speak of colors found in books by Gertrude Stein, João Cabral de Melo Neto, Katherine Mansfield, Manoel de Barros, Murilo Mendes, Paulo Leminski, Richard Price, Wallace Stevens and William Carlos Williams. The verses were printed in its original typology and each sheet painted with gouache in the described color. The gouache ink overflows from the paper reaching the wall.

Na série Cores, nomes reuni versos que falam de cores encontrados em livros de Gertrude Stein, João Cabral de Melo Neto, Katherine Mansfield, Manoel de Barros, Murilo Mendes, Paulo Leminski, Richard Price, Wallace Stevens e William Carlos Williams. Imprimi os versos mantendo sua tipologia original e pintei cada folha com tinta guache na cor descrita. A pintura transborda do papel até alcançar a parede.


As coisas estão no mundo, 2013/2014

Exhibition view: As coisas estão no mundo, Galeria Vermelho, São Paulo, 2014

Installation | Offset printing test paper distributed in stacks and carved on site |Variable dimensions


Papers used in printing house to adjust color and print registration for art books form 20 stacks on the floor. In each one is carved a letter, writing the title As coisas estão no mundo (Things are in the world).

Papéis usados em gráfica para acertar cor e registro de impressão de livros de arte formam 20 pilhas no chão. Em cada pilha é esculpida uma letra, formando a frase As coisas estão no mundo.


Guerra del Tiempo, 2012 

Exhibition view: Guerra do Tempo, Chácara Lane, São Paulo, 2015

Mineral print on cotton paper | 77 x 101 cm


La luna blanda, 2012 (Marilá Dardot & Sara Ramo)

Tryptic | Mineral print on cotton paper | 60 × 57,7 cm (each)

A educação pela pedra, 2012

Exhibition view: Intervenções VI, Museu Lasar Segall, São Paulo, 2012

Installation | Stone letters 


A verse from the poem Educação pela pedra (Education by stone) by João Cabral de Melo Neto is written with red stones in the museum courtyard floor:Para aprender da pedra, frequentá-la; (to learn from the stone: to go to it often;).

Um verso do poema A educação pela pedra, de João Cabral de Melo Neto, é escrito com pedras portuguesas vermelhas no piso do pátio do museu: Para aprender da pedra, frequentá-la;


Novas pinturas, 2011
Acrylic paint on glass and wood frame | Variable dimensions


Avant et après la lettre, 2011

Exhibition view: Chambres Sourdes, Parc Culturel de Rentilly,Rentilly, 2011

Installation | Book and schreded pages


A book is placed over a pile of small pieces of diferent book pages. The pieces appear to be getting out of (or in) the book, covering the whole floor. Avant et après la lettre is an installation created for the library room of Chateau de Rentilly, Parc Culturel de Rentilly, France.

The french expression “avant la lettre” means “before the term was coined; used after a term applied anachronistically.


Um livro repousa sobre uma pilha de pequenos fragmentos de frases, que parecem sair ou entrar nele. Estes fragmentos de livros diversos cobrem quase todo o chão do espaço. A expressão francesa “avant la lettre” significa “antes do estado definitivo; antes do seu inteiro desenvolvimento” ou “antes do termo existir”.


Introdução ao Terceiro Mundo, 2011

Exhibition view: Introdução ao Terceiro Mundo, Galeria Vermelho, São Paulo, 2011

Installation | Mineral print on cotton paper, wood, styrofoam, glass, mixed media


Introdução ao Terceiro Mundo (Introduction to the Third World) features a small museum dedicated to a fictitiou place where pieces of contemporary art loose their art status to operate as ordinary mechanisms. Maps, flag, samples of objects and entries such as “Flora”, “Water,” “Universe” and “Architecture” were created from photographic reproductions of art works and texts by artists and writers like Rivane Neuenschwander, Fabio Morais, Sara Ramo, Italo Calvino and Julio Cortázar.

Introdução ao Terceiro Mundo apresenta um pequeno museu dedicado a um lugar fictício onde proposições da arte contemporânea perdem seu estatuto de “obra de arte” para operar como mecanismos cotidianos. Mapas, bandeira, amostras de objetos e verbetes como “Flora”, “Água”, “Universo” e “Arquitetura”; tudo foi criado a partir de reproduções fotográficas de obras e textos de artistas e escritores como Rivane Neuenschwander, Fabio Morais, Sara Ramo, Italo Calvino e Julio Cortázar.